CRMV-RS
CRMV-RS
portugues espanhol ingles
CRMV-RS lança campanha de conscientização sobre cuidados com pets no verão
23/12/2021

O verão chegou e junto com ele muita curtição com nossos pets nos parques e praias. Os passeios se intensificam, as viagens e o tempo de exposição ao sol, daqueles animais que não saem de casa, como os gatos, também aumentam. A vida parece que fica mais alegre e ativa no verão. No entanto, é preciso ficar atento para uma série de cuidados que a época mais quente do ano demanda, seja na hora do passeio, de ir para a praia, tomar sol em casa, com a alimentação e a ingestão de água. 

 

Em função disso, o Conselho Regional de Medicina Veterinária do Rio Grande do Sul (CRMV-RS) lançou a campanha “Cuidados com pets no verão” para alertar os tutores sobre algumas armadilhas que o calor intenso reserva para cães e gatos. "Assim como as pessoas, os animais também necessitam de mais hidratação e cuidados para suportar as altas temperaturas da estação", destaca o presidente do CRMV-RS, médico veterinário Mauro Moreira. Segundo o dirigente, o calor excessivo pode representar riscos aos pets. "A campanha busca justamente ajudar os tutores a não só observar o comportamento de seus animais de estimação, mas adotar uma rotina de cuidados que os preservem dos efeitos do verão.

 

Os passeios devem ser realizados no início ou no final do dia, em função do calor e da possibilidade de os animais queimarem as patinhas, em contato com o chão ou asfalto quentes. O médico veterinário Nédio Guizzo Junior destaca a necessidade de atenção redobrada na hora de expor cães e gatos ao sol e calor, sejam os que passeiam ou os que permanecem domiciliados, pelo risco de hipertermia e desidratação. “O sistema de termorregulação dos pets é diferente dos humanos, a forma de resfriar o organismo é, em grande parte, aumentando a frequência respiratória, e isso funciona bem, porém, em situações de exposição prolongada ao calor e umidade do ar baixa podem levar à descompensação respiratória e fisiológica”, explica.

 

A médica veterinária Renata Pedron diz que a exposição ao sol, sem a devida precaução, assim como em humanos, pode predispor a câncer de pele, principalmente animal de pelagem clara. “Por isso, pode-se passar protetor solar nos pets. Já existem no mercado marcas específicas pet, não precisando passar protetor solar humano. Os casos indicados são para os pets com pelagem rarefeita, em decorrência de patologia ou tratamento, e em gatos brancos ou extremidades brancas (focinho e orelhas) devido à alta incidência de neoplasias”. 

 

Os cuidados com alimentação e ingestão de água também são indispensáveis: em qualquer situação, sempre ter uma fonte de água potável para oferecer várias vezes ao dia. Os alimentos ricos em água, como os pastosos, também são indicados, pois ajudam na hidratação. 

 

No verão, também são recorrentes casos de tutores que deixam cães presos em carros fechados, ou amarrados no pátio, em área sem acesso à sombra, ou em peças da casa fechadas e muito quentes, casos graves que podem levar os animais à morte por uma síndrome conhecida como intermação. Ela leva a um aumento da temperatura corporal do pet, causada por longa exposição ao calor, sem os cuidados adequados.

 

Entre os sinais clínicos, pode ter como sinal clínico com temperatura corporal acima de 40°C, hiperventilação, sialorreia, taquicardia, indisposição e fraqueza, em casos mais graves, sintomas cardiovasculares, edema pulmonar, coma e óbito. “Para evitá-la, deve-se manter a hidratação, não expor o pet a longos períodos ao sol ou locais abafados (caixa de transporte), manter local ventilado e com temperatura amena, nunca deixe o pet dentro de automóveis sozinho e não estimule exercícios em horários de maior calor”, explica Nédio.

Confira as artes da campanha clicando aqui.